domingo, 20 de novembro de 2011

os miúdos

da escola e os de casa são os guardiões dos meus dias, garantem-me o equilíbrio neste quotidiano delirante em que os mais crescidos se perdem. tomamos conta uns dos outros, procuramos manhãs claras.



Abelardo Morell


Where the Sidewalk Ends

There is a place where the sidewalk ends
And before the street begins,
And there the grass grows soft and white,
And there the sun burns crimson bright,
And there the moon-bird rests from his flight
To cool in the peppermint wind.

Let us leave this place where the smoke blows black
And the dark street winds and bends.
Past the pits where the asphalt flowers grow
We shall walk with a walk that is measured and slow,
And watch where the chalk-white arrows go
To the place where the sidewalk ends.

Yes we'll walk with a walk that is measured and slow,
And we'll go where the chalk-white arrows go,
For the children, they mark, and the children, they know
The place where the sidewalk ends.
Shel Silverstein


5 comentários:

João Paulo Ferreira disse...

Muito bom site do Silverstein. A visitar. A música também está boa, mas isso não é novidade. :)

leonor f. disse...

as baladas estão mesmo para ficar...e gosto muito do jardim da estrela ;))

the dear Zé disse...

olha que tão bonita fotografia tu foste desencantar... a fazer-me sentir pequenino

bêjo

the dear Zé disse...

ps.: sobre a clareza das manhãs, pois, há assim como que uma neblina ou fumo ou pó que me entra nos olhos e...

leonor f. disse...

pequenino? palerma!
algumas p/b do Abelardo Morell são mesmo muito boas...
as tuas, gosto muito de todas!
beijo