quinta-feira, 7 de julho de 2011

assim tenho eu andado






como quando alguém se perde num bosque durante a noite e não encontra o caminho de volta à sua casa. tempo de ouvir as vozes das estrelas, o eco do fim do mundo, o assobio dos juncos nas pedras:
"- segue! -segue! "











mas dos lugares onde apenas o sonho se atreve, só uma voz pode fazer regressar.




Quando não encontras a tua casa
Paloma Sánches Ibarzábal
Joanna Concejo
OQO editora



1 comentário:

Cristina Madureira disse...

Como pode ser tão bonito andar perdida...